Aeroporto Internacional de Salvador

 

Em 9 de março de 1927, a própria Compagnie Générale d'Entreprise Aéronautiques recebeu autorização do Ministério da Aviação e Obras Públicas para realizar tráfego aéreo em território brasileiro. A empresa francesa tornou-se a Compagnie Générale Aéropostale e, em 1932, fundiu-se com outras empresas para formar a Air France. Naquela época, os franceses construíram onze campos de pouso no Brasil

De 1930 a 1937, o serviço de correio do Graf Zeppelin operou na Bahia, através do Serviço Aereo Transatlantico Zeppelin - Condor. As malas postais eram baixadas no campo de pouso, sem atracamento da aeronave. A partir de abril de 1936, o dirigível Hindeburg também operou aqui, até antes de seu fatídico desastre, em 6 de maio de 1937.

Esse campo de pouso de Ipitanga passou também a ser usado também pela Companhia Aeropostal Brasileira.

Em 1939, com o início da II Guerra Mundial, os franceses deixaram as instalações. Em 1941, o aeroporto foi reconstruído pela Panair do Brasil, com duas pistas, para dar apoio aos aliados. Após a Guerra, as pistas passaram ao controle do Ministério da Aeronáutica, hoje, é parte da Base Aérea de Salvador. Alguns serviços continuaram com a Panair do Brasil.

Em 1949, o Aeródromo de Santo Amaro do Ipitanga foi reestruturado para permitir a crescente movimentação de passageiros e cargas. Em 1955, passou a se chamar Aeroporto Dois de Julho. Recebeu o código SSA. Nos anos seguintes, outras ampliações e reformas foram executadas. Em 1984, o antigo terminal de passageiros foi demolido, dando lugar a um outro maior e mais moderno.

Em 1998, passou a se chamar Aeroporto Internacional de Salvador – Deputado Luís Eduardo Magalhães. Foi reformado em 2000 e ampliado, em 2013. Em março de 2017 o Aeroporto foi adquirido pelo grupo francês Vinci Airports. Atualmente é um dos mais modernos da América do Sul.

 

Em 1925, ainda quando Lauro de Freitas era o distrito de Santo Amaro de Ipitanga, do município de Salvador, a empresa francesa Compagnie Générale d'Entreprise Aéronautiques, antiga Société des Lignes Latécoère, construiu um campo de pouso próximo do local do atual Aeroporto. A empresa francesa começou a realizar voos experimentais, no Brasil, em janeiro de 1925, transportando jornais e correspondências.

A regulamentação dos serviços civis de navegação aérea, no Brasil, foi feita pelo Decreto nº 16.983, de 22 de julho de 1925.

A empresa francesa fundou a subsidiária Companhia Brasileira de Emprehendimentos Aeronauticos, que recebeu uma concessão, pelo Decreto nº 17.055, de 1º de outubro de 1925, para operar uma linha aérea entre Recife e Pelotas, passando por Salvador, Caravelas e outras cidades. Poderia transportar passageiros, cargas e malas postais.

 

◄Lauro de Freitas

 

A bela alameda de bambus, no acesso viário ao Aeroporto, existente desde o final dos anos '40. O bambuzal foi mandado plantar pelo primeiro comandante brasileiro da Base Aérea, após ser devolvida pelos Estados Unidos.

Embaixo, a entrada das duas pistas ou túneis do bambuzal.

 

 

Salvador

 

Aeroporto Salvador

 

Zeppelin

 

Bambu

 

Viagem

 

Turiasmo Bahia

Latecoere

 

Aeroporto Bahia

 

Bambuzal

 

Baia Todos os Santos

 

Mapas Bahia

 

Copyright © Guia Geográfico - Turismo na Bahia, SSA,

 

Compras

 

Aeroporto Internacional de Salvador

 

Lauro de Freitas

 

Aeroporto Internacional de Salvador

 

O avião Breguet 14 F-ALXE das Lignes Latécoère, nos tempos pioneiros da aviação no Brasil.

 

 

 

 

 

 

Divulgação

 

 

Rita Barreto